• Camila, @BrasileirasdoMundo

Pâmela Freitas, Holanda 🇳🇱

Brasileiras do Mundo: Quando e por que você decidiu morar no exterior?


Pâmela: Um belo dia, sentada no sofá da minha casa, em uma plena sexta feira, já não me sentia mais tão desafiada no meu trabalho no Brasil. Mas eu amava a empresa que eu trabalhava, então decidi dar uma olhadinha nas vagas internas e vi que tinha uma vaga com a mesma posição que eu ocupava no Brasil, só que na Holanda. Aí pensei: por que não aplicar? Isso foi em Março de 2021 e a partir daí tudo aconteceu muito rapidamente. Em mais ou menos três semanas após participar do processo seletivo eu recebi a notícia da aprovação! Estou morando na Holanda desde Julho deste ano.




BDM: Quais as maiores dificuldades que você encontrou no seu país de destino?


É bem difícil ver um holandês proativo e disposto a ajudar.

P: Embora seja um país super organizado, a Holanda tem um senso de individualismo muito grande e os holandeses são extremamente reservados. Baseado na minha experiência, é bem difícil ver um holandês proativo e disposto a ajudar. Além disso, o clima aqui é bem difícil se comparado ao Brasil - principalmente ao Rio de Janeiro, de onde eu venho. Aqui chove quase que diariamente, venta muito e mesmo sendo verão, faz muito frio! Comida também não é o forte daqui.... eles fritam tudo!


BDM: Do que mais sente saudade no Brasil?


P: É mais fácil perguntar do que eu não sinto! Sem sombra de dúvidas morro de saudade da família, dos amigos, da minha rotina - do clima e do jeito leve que o carioca leva a vida. A gente é muito feliz! A única coisa que eu não sinto saudade é da violência, isso aqui não é um problema pra mim. Mas de uma forma geral é sofrido, saudoso e dolorido muitas vezes. Além disso, mesmo com pouco tempo já pude ver que sim, temos aqui em país de primeiro mundo problemas similares aos que temos no Brasil!





BDM: Quais são as coisas das quais você mais se orgulha?


A nossa alegria e a nossa paixão por viver não tem igual.

P: Primeiramente da identidade brasileira que tenho. De fato não existe povo mais incrível do que a gente. A nossa alegria e a nossa paixão por viver não tem igual. Segundo da coragem de largar tudo e mergulhar nessa jornada louca que é morar fora do nosso país de origem.


BDM: Dicas para mulheres que pensam em sair do Brasil?

P: O feminismo deve fazer parte da nossa identidade independente de onde estivermos. Não deixe de se impor, de se estabelecer como mulher na comunidade que você estiver, e viva tudo com muito prazer!