top of page
  • Foto do escritorCamila, @BrasileirasdoMundo

Monica Mamudo, Los Angeles ūüáļūüáł

Brasileiras do Mundo: Quando e por que você decidiu morar no exterior?


Monica: Em 2012 assim que terminei o colegial. Eu sempre tive a necessidade de mudar, viajar. Pode ser o fato que sempre mudei de estado pra estado dentro do Brasil, pode ser o ascendente em sagit√°rio.... eu sempre soube que o meu lugar era aqui fora!


BDM: Quais as maiores dificuldades que você encontrou no seu país de destino?

G: Acho que a xenofobia disfar√ßada. Quando aconteceu comigo pela primeira vez, foi bem s√ļtil e eu me senti min√ļscula. Como assim eu vou perder uma oportunidade, porque eu sou brasileira? √Č quest√£o de documenta√ß√£o legal para trabalho? N√ÉO. Porque a documenta√ß√£o eu tenho! Era simplesmente o fato de n√£o aceitarem talento que n√£o fosse norte americano. Eu fiquei em choque - especialmente sendo uma grande empresa e uma grande oportunidade. N√£o entendia o conceito de xenofobia totalmente porque sempre fui criada com muita prote√ß√£o ao meu redor.



BDM: Do que mais sente saudade no Brasil?

Amizade nos Estados Unidos é tão diferente (...) E eu acho que no Brasil é mais fácil de fazer amizade, de se enturmar.

M: Meus amigos. comida brasileira eu consigo pedir até na Amazon e meus pais estão em Portugal. Mas meus amigos e o que amizade significa me faz sentir muita falta do Brasil. Amizade nos Estados Unidos é tão diferente. Eu costumo dizer que existem três tipos: caixa 1 é dois internacionais com backgrounds diferentes que criam um elo forte com pouco tempo por causa da situação que se encontram. A 2 é dos brasileiros que se encontram e sentem falta de casa. A 3 a do imigrante e o local viajado - que já viu o mundo e está aberto a novas coisas e entende outras culturas. Eu já preenchi as três caixas. Mas algumas pessoas não conseguem. E eu acho que no Brasil é mais fácil de fazer amizade, de se enturmar.


BDM: Quais são as coisas das quais você mais se orgulha?

M: Acho que da minha plataforma e como eu cresci de forma org√Ęnica e pelo que sou. A partir do momento que eu abri m√£o de ser uma blogueira perfeita e comecei a dividir o meu eu mesmo, foi quando fluiu. E √© muito menos exaustivo. Eu nunca fiz um personagem on-line, eu s√≥ omitia as coisas ruins, os errinhos m√≠nimos. E a√≠ lembro do que eu sempre me disse: ningu√©m suporta um personagem por muito tempo. At√© os que est√£o h√° 10 anos na tv chegam ao fim, e o que resta? O ator. A ess√™ncia. O real. √Č isso que carrega ele pro pr√≥ximo projetos e √© disso que tenho muito orgulho. De carregar e construir uma plataforma com a minha ess√™ncia e seguir firme.



Divide apenas o essencial - a competição no exterior parece moda: todo mundo quer imitar todo mundo.


BDM: Dicas para mulheres que pensam em sair do país?

M: Vai na fé! Ouça sua intuição! E se posicione SEMPRE. Melhor ter uma opinião e ser sozinha do que estar cercada de pessoas que só sugam sua energia e não agregam em nada. A vida da mulher imigrante é difícil, mas eventualmente tudo se alinha. E não conta seus sucessos! Divide apenas o essencial - a competição no exterior parece moda: todo mundo quer imitar todo mundo. Faz o seu, quietinha! E so mostra os resultados. Eu só entendi isso quando comecei a preservar a minha energia e consegui sucesso com meu silêncio.... A Monica é um super sucesso no Instagram - o perfil dela é @monicamamudo ✨



Comments


bottom of page